Thelma Chan

rainbow

Nasci em São Paulo, em 23 de novembro de 1953. Aos cinco anos minha mãe me matriculou na escola de ballet, mas a professora era chata e eu não quis ficar: "Então você vai aprender piano", resolveu a mãe que queria que eu tivesse um "algo mais". E lá fui eu. Por sorte a professora era muito legal! Levou até a gente pra cantar na televisão! Sim, ela nos fazia cantar também. Adorei! E segui em frente. Tive outras professoras de piano até chegar na dona Hilda, que me levou pro Conservatório; eu tinha então 12 anos.

De lá pra faculdade de música foi um pulo, pois o Osvaldo Acursi, diretor do Instituto Normal de Música, o tal conservatório, era muito ousado e inovador.

Tínhamos os melhores professores, e o ano todo aconteciam apresentações de excelentes músicos. A Semana da Arte era o máximo! De dia, se apresentavam os alunos. À noite, artistas consagrados como Isaac Karabitchevsky e seu Madrigal das Arcadas, Sebastian Benda e sua Camerata de Cordas, Yara Ferreti interpretando Villa Lobos, Pietro Maranca, um dos melhores pianistas que já se viu, e muito mais. Com tudo isso, jamais quis parar de fazer Música. Quando chegou a hora do vestibular, o Acursi estava montando a primeira faculdade de Música de São Paulo, a Faculdade Paulista de Música. Eu cursava então o quarto ano de Magistério, pois sempre quis ser professora. "Vai prestar vestibular pra quê?", perguntou Osvaldo, "Ainda não sei", respondi aos 17 anos, "Então vai fazer Música". E eu fui. Fiz parte da primeira turma, da primeira faculdade de música da cidade de São Paulo!